Terapia centrada na pessoa: como adotá-la no seu consultório

Terapia centrada na pessoa: como adotá-la no seu consultório

Ir ao psicólogo pode ser uma atividade mais simples, calorosa e otimista quando o profissional segue a terapia centrada na pessoa. Mais do que um conjunto de técnicas e normas, o método é uma forma de lidar com o paciente sem julgamentos ou condições para aceitação.

A terapia centrada na pessoa foi desenvolvida pelo psicólogo americano Carl Rogers durante a década de 1950. Ele foi um dos precursores do cuidado centrado na pessoa — como a prática é chamada quando diz respeito ao trabalho de médicos e enfermeiros. 

A terapia centrada na pessoa

A terapia centrada na pessoa é uma abordagem humanista que lida com as formas pelas quais os indivíduos se percebem conscientemente. Assim, o papel do psicólogo não é interpretar os pensamentos ou ideias inconscientes do paciente.

Além disso, “empatia” é a palavra de ordem quando se aplica o método. O terapeuta é, então, aquele que interpreta as experiências e sentimentos do indivíduo de acordo com a perspectiva do paciente, e não do profissional.

Uma parte importante da terapia centrada na pessoa é que, no consultório do psicólogo, a satisfação do paciente inclui a sociabilidade, a necessidade de estar com outros seres humanos e o desejo de conhecer e ser conhecido. Profissional e paciente estabelecem uma relação equilibrada de confiança mútua. Portanto, a teoria se distancia da ideia do terapeuta em posição de detentor de saber e que analisa o outro a partir do seu próprio ponto de vista.

O psicólogo que aplica a abordagem centrada na pessoa entende que o paciente tem vastos recursos para a autocompreensão, assim como para mudar seus conceitos sobre si mesmo, atitudes e comportamento autodirigido. Esses recursos podem ser melhor explorados quando o psicólogo atua como um facilitador.

Segundo Rogers, os princípios a serem adotados por um profissional que adota a terapia centrada na pessoa são:

  • Congruência: Ser congruente significa ser real e genuíno, ou seja, vivenciar livremente os sentimentos e atitudes que estão fluindo no momento;
  • Consideração positiva incondicional: A experiência de consideração positiva incondicional em relação a outra pessoa significa aceitar calorosamente cada aspecto da sua existência. Portanto, não se deve colocar condições para a aceitação ou para a apreciação dela. Ela implica um cuidado não-possessivo, apreciando o outro como uma pessoa individualizada e que possui seus próprios sentimentos, experiências e vontades.
  • Compreensão empática: Adotar a empatia significa perceber o quadro interno do paciente como se fosse o seu próprio, com os seus significados e componentes emocionais. 

Como divulgar os seus serviços


Ao estabelecer uma relação de confiança e empatia com seus pacientes, você também trabalha a favor da divulgação do seu atendimento. Afinal, as chances de divulgar seus serviços serão maiores, o que pode aumentar a rotatividade do seu consultório.

Você pode reforçar a divulgação do seu consultório ao criar um site profissional, assim como páginas profissionais em redes sociais como Facebook e Instagram. Na internet, destaque sua escolha por trabalhar com a terapia centrada na pessoa e explique como funciona. Compartilhe seus princípios e mostre aos potenciais pacientes que, ao se consultar com você, eles serão acolhidos em um ambiente seguro, onde poderão se expressar livremente e sem julgamentos.

Participar de eventos relacionados à sua área e criar relações com outros profissionais que adotam os mesmos métodos e princípios é outra forma de divulgar seus serviços. Comunique-se e permita que as pessoas conheçam o seu trabalho.

Por fim, esteja no mapa — ou seja, no Google. O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita que permite cadastrar uma empresa para que dados como endereço e telefone apareçam na busca. Registre o seu consultório, permita comentários de pacientes e coloque o link para o seu site, onde você deve destacar sua escolha pela terapia centrada na pessoa.

Você já tinha ouvido falar sobre a terapia centrada na pessoa? O que pensa sobre o método?

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *