Saúde: o que é e qual o papel do cuidado centrado na pessoa

Saúde: o que é e qual o papel do cuidado centrado na pessoa

Após fazer um check up completo de saúde e receber apenas resultados positivos, ficamos aliviados e satisfeitos. Afinal, estamos saudáveis, não é mesmo? Não necessariamente.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença e enfermidade”. Estar saudável, portanto, não significa apenas não estar doente. Significa, também, viver em equilíbrio em relação a si próprio e ao ambiente social e físico que o rodeia.

A boa saúde permite ao indivíduo lidar adequadamente com todas as demandas da vida cotidiana. Ainda que ela também implique na ausência de doença, é possível estar doente e viver com boa qualidade de vida. Certas pessoas com problemas crônicos de saúde, por exemplo, conseguem realizar suas tarefas diárias e encontram formas de lidar com os sintomas.

Como ser saudável

A resposta para a pergunta que não quer calar é mais simples do que você imagina. Primeiro, tenha em mente que boa parte da qualidade da sua saúde está em suas mãos. A Universidade de Harvard, lista algumas dicas para ser saudável e viver mais, como:

  • Fazer atividades físicas e mentais prazerosas todos os dias;
  • Adotar uma dieta variada e rica em grãos, vegetais e frutas e evitar consumir alimentos ricos em gorduras saturadas, gorduras trans e industrializados;
  • Certificar-se de que está consumindo nutrientes em quantidade adequada, como cálcio e vitamina D;
  • Desafiar a mente: continue aprendendo coisas novas e praticando atividades diferentes;
  • Manter uma rede de apoio, incluindo amigos e familiares próximos e profissionais de saúde de confiança;
  • Fazer exames de rotina e tomar todos os cuidados preventivos em relação à saúde;
  • Em casos de doença ou condições de saúde crônica, discutir com o médico todas as possibilidades de tratamento, cura e manutenção de boa qualidade de vida.

Cuidado centrado na pessoa: um caminho para a vida saudável

Para estar saudável, portanto, é preciso adotar um comportamento condizente com as dicas acima, inclusive em casos de doença No entanto, os tratamentos convencionais nem sempre prestam atenção à autonomia e saúde global do paciente, incluindo seu bem-estar mental e social.

O cuidado centrado na pessoa, um método cujos benefícios já foram reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde, pretende suprir essa lacuna ao oferecer um tratamento mais humano, acolhedor e integrado entre paciente e profissional de saúde. Seu objetivo é tratá-lo de forma integral, assim como sugere a definição de saúde fornecida pela OMS. Não são, portanto, só os sintomas e a doença que importam. Fatores emocionais, psicológicos e o vínculo com o médico/equipe devem ser trabalhados.

O cuidado centrado na pessoa também entende que cada pessoa é única e, portanto, deve ser tratada de acordo com as suas particularidades. Portanto, o paciente não é apenas um nome em um prontuário, acompanhado de um conjunto de diagnósticos ou sintomas. Ele é um indivíduo com necessidades emocionais, sociais e práticas que devem ser levadas em conta para que o tratamento seja bem-sucedido.

Por fim, o método também olha para a autonomia do paciente. Muitas vezes, o doente entende muito pouco sobre o seu estado de saúde e mal sabe por que está adotando as medidas sugeridas pelo médico. Quando isso acontece, as chances de descontinuar o tratamento são maiores. Por outro lado, quando conhece seu próprio corpo e compreende seu estado geral — físico e emocional — fica mais engajado. Assim, há mais possibilidade de sucesso.

O cuidado centrado na pessoa, quando aplicado por sistemas, instituições e profissionais de saúde, dá ao paciente as ferramentas necessária para que tenha uma vida mais saudável, independente e plena. Portanto, não deixe de tomar conta do que é seu: o seu bem-estar físico e mental. Que tal procurar por métodos de tratamento mais humanitários, empáticos e nos quais você esteja bem engajado?

Share this post

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *